Se existe um sentimento que não atingiu o torcedor gremista diante da derrota de ontem para o Flamengo foi o de surpresa. Grêmio atuando fora de casa? Pode somar mais três pontos à campanha do adversário. Incrível como o time muda de postura atuando fora da Arena. Aquela equipe vibrante, forte, interessada, que mordeu do primeiro ao último minuto, do domingo passado contra o Corinthians, se perdeu na semana de treinamentos e o que vimos ontem em Brasília foi o mesmo Grêmio sonolento, entregue, amorfo, derrotado, incapaz de qualquer reação técnica ou anímica diante de um adversário que dominou o jogo inteiro e só não nos aplicou uma goleada pela atuação do Grohe. Aliás, contra o Corinthians a grande atuação do nosso goleiro já mascarou uma atuação muito ruim do nosso sistema defensivo, especialmente no primeiro tempo, onde o Grêmio deu (quase) os mesmos espaços e marcou (quase) tão frouxamente quanto ontem. E também contra os paulistas a dupla de zaga falhou invariavelmente em todos os escanteios, transformando em filme de terror qualquer bola levantada sobre a área. A diferença foi que ontem a bola entrou. E que o ataque não funcionou.

O primeiro tempo do Grêmio foi indescritível. Poderia chamar de varzeana a atuação do time, mas aí estaria ofendendo o nobre futebol de várzea, que não merece a comparação. Foi deprimente. Um time desarrumado, desinteressado, dando todo o espaço possível ao Flamengo, sem a mínima postura que se pode (deve!) exigir de um postulante a qualquer coisa nesse campeonato (e sim, somos postulantes, pelo menos por enquanto, a pontuação é quem diz isso!). O Grêmio não conseguiu trocar três passes nas raras vezes em que passou do meio campo. Um “chute” (traque) constrangido e constrangedor do horrendo Wallace O.  foi o resumo do time nessa etapa para ser esquecida. Foi um baile do Flamengo. Um chocolate. Um “arrodião”. E é irritante ter de ouvir depois do jogo nosso treinador dizer que o primeiro tempo foi “razoável”. Tudo bem que queira preservar o grupo, mas não precisa tratar como imbecis todos nós que assistimos indignados àquele descalabro.

O segundo tempo não foi tão constrangedor, nada mais que isso. Roger tirou o abominável Wallace O. (que não pode nem voltar a fardar!) e ousou fazendo entrar Lincoln, atuando mais recuado para qualificar a saída de bola. Pouco adiantou, pois a nossa jovem promessa, cujas atuações fazem lembrar o “saudoso” Bruno Soneca, e que, pelo “interesse” e “disposição” já caminha a passos largos para se tornar um ex-jogador aos 19 anos, foi, mais uma vez, uma decepção. Bolaños, cujas atuações já começam a assustar a torcida, e me faz lembrar Carlos Kiese, foi, novamente e como sempre, uma nulidade na frente, e, como na semana passada, voltou a perder uma chance “imperdível” que poderia mudar o jogo. Nosso gol, digno de uma pelada de recreio de colégio, foi, além de imerecido, a cara da atuação gremista. Só mesmo daquela maneira quase bizarra poderíamos ter marcado.

Mas, mais do que as escolhas erradas (os fracassados Wallace O. e Ramiro, que já demonstraram suficientemente que não podem ser opção para nada), mais do que o bruxismo (a insistência doentia, quase patológica, com o insuportável Marcelo O., que vem mal desde janeiro e não sai do time), mais do que a fraqueza do elenco (poucos reservas quando entram conseguem dar uma resposta positiva), chama a atenção a postura medíocre e perdedora do Grêmio quando atua fora de casa.  O que esperar de um time assim? O que esperar da campanha na Copa do Brasil, que inicia quarta? O Grêmio não é nem de longe tão ruim quanto pareceu no jogo de ontem! Mas parece que o próprio time quer nos convencer do contrário! Não é falta de vontade,  pois  na Arena esse time já decidiu dois ou três jogos no último minuto, ou seja, não se entrega. Mas fora de casa de acovarda, parece que já entra assustado, derrotado. Nos falta qualidade? Com certeza, isso ontem ficou claro (aliás, já estava claro há tempos). Mas já perdemos mostrando essa postura medíocre também com Luan, Wallace, Edilson, etc! Agora, com tudo isso, a verdade é que ainda estamos vivos! Ganhasse o Grêmio esse jogo atrasado contra o Botafogo, estaríamos com pontuação de vice-líderes! Agora, alguém aposta um cafezinho que o Grêmio venha a ganhar esse jogo?

 

About The Author

Leave a Reply

Your email address will not be published.