E a Raposa voltou a vencer no Brasileirão, com sua melhor atuação desde 2015, a equipe azul celeste despachou seu maior rival, chegou ao 4º clássico de invencibilidade e mandou o Atlético/MG para a zona da degola. Possivelmente, o clássico disputado no Horto foi o melhor jogo do Campeonato Brasileiro até o momento, jogo com cinco gols, cinco expulsões, estádio cheio, polêmicas no gramado, provocações, grandes atuações individuais e vitória sofrida, tudo o que um clássico precisa.

É a terceira vitória seguida da Raposa jogando contra seu rival no Independência, se com Marcelo Oliveira, havia a sina de não vencer clássicos, sem ele já são quatro jogos sem perder e três vitórias no Horto – algo que nunca havia ocorrido com o antigo treinador -, o tabu mudou de lado e agora é o Galo que não vence clássicos, além de Marcelo Oliveira que segue sua sina, tanto por Cruzeiro quanto por Atlético/MG, o treinador não consegue ter um bom retrospecto em dérbis, também não conseguiu vencer comandando o Atlético/MG.

No jogo disputado no Horto, o melhor em campo foi Arrascaeta, o meia uruguaio foi o autor das jogadas dos três gols celestes e destruiu a defesa atleticana, além dele, outros atletas azuis tiveram grandes atuações, Riascos redimiu-se do pênalti perdido em 2013 e anotou o segundo gol, para comemorar, ciscou como uma galinha, Bruno Rodrigo – autor do terceiro gol -, Alisson – autor do primeiro gol – e Henrique também foram bem, e ofuscaram a estreia de Fred, quem anotou um gol que nada ajudou.

Alisson e Arascaeta brilharam (Foto: Cruzeiro/Divulgação)

Alisson e Arascaeta brilharam (Foto: Cruzeiro/Divulgação)

Entre as expulsões celestes estiveram Bryan e os reincidentes, Lucas e Romero, o argentino – por sua vez – foi expulso no fim e teve atuação importantíssima no clássico. O treinador Paulo Bento segue mostrando evolução a frente da equipe e com exceção do jogo contra o São Paulo, o treinador tem feito a equipe evoluir, contra o Atlético/MG, a melhor atuação da equipe, justamente na primeira vez que o treinador português teve uma semana inteira para trabalhar e armar o time, a transição defensiva, a jogadas ofensivas e a bola parada celeste funcionaram muito bem.

Era a vitória que faltava para dar confiança ao time, a frente do rival na tabela, a equipe cruzeirense precisa seguir evoluindo, mas a vitória no clássico mostrou que é possível fazer este time jogar em alto nível, certamente, foi a melhor partida celeste no Independência, onde não jogou acuado e deu as cartas em boa parte do jogo, o goleiro Fábio não foi tão exigido. Agora, é bola pra frente, pois o campeonato segue, mas a vitória no clássico já está na história da competição.

About The Author

Amante do esporte, presente em uma das tantas curvas da highway. Mineiro, acima de tudo Cruzeiro. Fã de futebol rápido, não necessariamente rasteiro. Acredita na Copa do Mundo como momento máximo do esporte.

Leave a Reply

Your email address will not be published.