Que a camisa de alguns clubes pesam em grandes campeonatos não é novidade. Mas, São Paulo e Boca Jr. nesta libertadores estão impressionando.

Focarei esse tema no São Paulo.

O time passou com dificuldade pelo Trujillanos na pré-libertadores. Chegou desacreditado; Tinha dois pontos em três rodadas na fase de grupo. Estavam desacreditados, mas passaram; Disseram que não ganhariam do Galo. Ganharam.

Não tenho dúvidas de que o tricolor será finalista. Jogar no Morumbi se tornou um terror para os adversários, assim como em 2005. A torcida não para 1 minuto, o estádio está sempre cheio, trouxeram um técnico especialista em libertadores e a camisa deste clube tem um peso absurdo!

Tão absurdo que Kelvin (ex-Palmeiras), Maicon (desconhecido até o começo desse ano), Michel Bastos (a torcida pedia sua saída há pouco tempo atrás) e Thiago Mendes (jogador mediano) entrarão para a história. Com exceção do Michel, esses atletas não teriam destaque algum em suas carreiras. O peso da história do São Paulo transforma jogadores.

Sem contar no Paulo Henrique Ganso e Calleri, que parece que nasceram para jogar libertadores, são o termômetro do time em campo.

Como está bonito vê-lo jogar, São Paulo.

E assim como o tricolor paulista, o Boca (17º no campeonato argentino) chegou. E quando gigantes, com legados invejáveis, chegam a decisões desse nível, dificilmente perdem.

Preparem-se, uma final entre Boca Jr x São Paulo vem aí.

About The Author

One Response

  1. raiden

    Maicon e Kelvin jogaram no porto, e foram campeões nacionais.
    Aliás, com gol no final do jogo feito pelo Kelvin. Como assim não eram conhecidos? não eram destacados?
    Maicon foi por um bom tempo titular do porto. o.O
    existe uma ferramenta de busca http://www.google.com.br quando você tiver alguma dúvida ou quiser se certificar de alguma informação recomendo pesquisar lá antes.

    Obrigado pelo desserviço.

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.