Depois de 17 dias sem treinador, o Cruzeiro acertou com um novo comandante e trouxe uma novidade ao futebol brasileiro, o português Paulo Bento é quem dirigirá a equipe até o fim do mandato do presidente Gilvan de Pinho Tavares, em dezembro de 2017. A Raposa tentou trazer a dupla finalista do campeonato carioca, Jorginho (Vasco da Gama/RJ) e Ricardo Gomes (Botafogo/RJ), mas com o insucesso nas tratativas e a escassez de nomes no mercado brasileiro, o clube buscou um nome fora, muitos sul-americanos foram especulados, mas o treinador virá da Europa, virá de Lisboa para BH.

O treinador português, Paulo Bento, tem 46 anos e passou por Sporting e pela Seleção Portuguesa, desempregado desde 2014 – ao ser demitido da seleção de seu país natal -, o treinador passou por cursos de aprimoramento profissional e estudou o futebol fora de seu continente, buscou entender o que ocorre além das fronteiras europeias. Pelo Sporting, o treinador conseguiu competir com Benfica e Porto, mesmo contando com recursos escassos, venceu duas taças e duas supertaças, além de quatro vice-campeonatos portugueses, já na seleção foi semi-finalista da EuroCopa 2012 e eliminado na primeira fase da Copa do Mundo no Brasil, muito em função das más condições físicas de sua principal estrela, Cristiano Ronaldo.

Paulo Bento fechou com o Cruzeiro (Foto: Divulgação/ESPN Brasil)

Paulo Bento fechou com o Cruzeiro (Foto: Divulgação/ESPN Brasil)

Apesar de ser uma aposta diferente, tanto o Cruzeiro quanto o treinador se estudaram para fechar o acordo, o Cruzeiro buscou um treinador com as características de Mano Menezes, devido ao seu sucesso no fim de 2016, Paulo Bento – assim como Mano – é um treinador jovem e atualizado, possui em seu currículo trabalhos sólidos em grandes equipes, cursos de aprimoramento da UEFA e adota um estilo de jogo parecido com o ex-treinador celeste, um jogo mais pragmático e eficiente, equipes sólidas defensivamente, mas com transições rápidas, além disso, o contrato oferecido ao treinador é longo, de quase dois anos, Gilvan pretende dar sequência ao treinador, assim como já fez com Celso Roth, Marcelo Oliveira e Mano Menezes, só não manteve o último por um longo período devido a proposta chinesa.

Já Paulo Bento, também estudou o Cruzeiro antes de fechar o contrato, buscou ver alguns jogos e conhecer melhor o elenco celeste, junto com ele virão quatro integrantes portugueses para sua comissão técnica, serão dois auxiliares, um preparador físico e um profissional de scout. O treinador deve chegar em Belo Horizonte na próxima semana e assumir o comando do time na segunda rodada do Brasileirão, contra o Figueirense no Mineirão, coincidentemente, a mesma estreia de Mano Menezes, o gaúcho estreou vencendo os catarinenses por 5×1.

O treinador traz alguns nomes para sua comissão técnica (Foto: Divulgação/SuperEsportes)

O treinador traz alguns nomes para sua comissão técnica (Foto: Divulgação/SuperEsportes)

O treinador português é conhecido por seu estilo “durão” e por não permitir vaidade de seus atletas, sempre priorizando o grupo em detrimento ao individual, e isso pode ser uma de suas vantagens em relação aos outros treinadores estrangeiros que têm passado pelo Brasil, pois os grandes problemas dos estrangeiros que passam pelo país estão nos fatos de não serem bem aceitos – tanto por atletas, treinadores, dirigentes, imprensa, torcedores, entre outros – e de perderem o grupo com facilidade, nomes como Fossati, Osório e Aguirre sucumbiram mesmo com bons trabalhos, atualmente estão Bauza dirigindo o São Paulo e Aguirre dirigindo o Atlético/MG, mas ambos já sofrem pressões devido aos fracassos estaduais e uma eliminação na Libertadores pode ser fatal.

Possivelmente, Paulo Bento usará a janela europeia para reforçar a equipe, utilizando seus conhecimentos sobre o mercado europeu e o costume de trabalhar com recursos inferiores, ou seja, buscar nomes com pouco alarde, o técnico deve indicar alguns jogadores à Raposa. O elenco celeste não é o principal do Brasil, mas conta com algumas boas peças e é um time com bom nível para disputar o G4 do Campeonato Brasileiro, implantar a filosofia de jogo não deve ser um problema, os principais obstáculos estão ligados a pressão externa que o treinador sofrerá por resultados.

No mais, Paulo Bento deve mostrar sua qualidade e montar um Cruzeiro competitivo, assim como fizeram Marcelo Oliveira e Mano Menezes, mas preocupando-se com os resultados, pois assim como a Raposa dá tempo à boa parte de seus treinadores, não resiste a pressão da torcida como qualquer clube brasileiro e pode “fritar” o técnico, como fez com Deivid. O português chega dar um rumo a nau celeste, engrenar sua carreira de vez e mostrar – de uma vez por todas – que é possível ter um técnico estrangeiro de sucesso no país, para quem já dirigiu Cristiano Ronaldo, o desafio não é motivo para medo, mas é uma mudança tremenda, um dia comandando CR7, no outro comandando Allano.

About The Author

Amante do esporte, presente em uma das tantas curvas da highway. Mineiro, acima de tudo Cruzeiro. Fã de futebol rápido, não necessariamente rasteiro. Acredita na Copa do Mundo como momento máximo do esporte.

Leave a Reply

Your email address will not be published.