Ah, a Libertadores! Só de falar seu nome, os corações dos torcedores sul-americanos batem mais forte. Isso porque a competição tem uma importância muito grande para os clubes do continente. Além de possuir grande prestígio, a Libertadores também é o passaporte para o Mundial de Clubes da FIFA, torneio onde times de diferentes continentes disputam entre si o almejado título de melhor clube do mundo. É por isso que todo mundo ama a Libertadores.

A edição desse ano da competição teve início nas últimas semanas, e como não poderia deixar de ser, toda a paixão envolvida, de jogadores e torcedores, veio à tona. Paixão essa que existe, certamente, desde as primeiras edições do certame. Acredita-se que os primeiros jogos envolvendo clubes de diferentes países da América do Sul aconteceram em 1900. Em 1905 e em 1916 ocorreram competições oficiais envolvendo esses clubes, mas que tiveram pouca relevância.

Foi só no final da década de 1940, atendendo ao desejo de alguns dirigentes do futebol sul-americano, que uma competição bem articulada e definida surgiu, foi a “Copa dos Campeões da América”, que envolvia os clubes campeões de seus países (o campeão desse “protótipo” da Libertadores foi o Vasco da Gama, vencendo a grande final contra o River Plate da Argentina). No final da década de 1950 aconteceram algumas reuniões envolvendo os representantes futebolísticos dos países da América do Sul, e então, como resultado desses encontros, em 1960 foi disputada a primeira “Libertadores da América” – chamada assim em homenagem aos personagens históricos que libertaram o continente dos colonizadores europeus.

Time do Peñarol de 1960, o primeiro campeão da Libertadores

Time do Peñarol de 1960, o primeiro campeão da Libertadores

O primeiro campeão dessa instigante competição foi o Peñarol (Uruguai), e de lá para cá vários clubes já levantaram a taça da Libertadores. Falando em números, os times argentinos dominam a competição com relação a títulos: são 24 no total. O Brasil fica em segundo, com 17 títulos alcançados, enquanto que o Uruguai é o terceiro, com 08. O Paraguai possui 03, a Colômbia 02, o Chile e o Equador apenas 01, enquanto que México, Peru, Venezuela e Bolívia nunca foram campeões.

River Plate levantando sua terceira taça da Libertadores (2015). Esse foi o 24° pra conta da Argentina

River Plate levantando sua terceira taça da Libertadores (2015). Esse foi o 24° título pra conta da Argentina

Retrospecto brasileiro

Falando do Brasil especificamente, o país possui dez diferentes campeões, no entanto, já contou com a participação de 27 clubes ao longo da história da competição.

Abaixo, a lista dos que se sagraram melhores da América:

– Vasco da Gama: o clube carioca possui 08 participações, e foi campeão uma vez (1998);

– Atlético-MG: marcou presença também em 08 oportunidades, e conseguiu um título (2013);

– Internacional: esteve em 11 Libertadores, e levantou a taça duas vezes (2006 e 2010);

– Flamengo: se fez presente 12 vezes na competição, e foi campeão uma vez (1981);

– Santos: o clube paulista também disputou 12 vezes a competição, e é tri campeão (1962, 1963 e 2011);

– Corinthians: tem 13 participações e um título (2012);

– Cruzeiro: registrou presença na competição em 15 oportunidades, e foi campeão duas vezes (1976 e 1997);

– Palmeiras: o alviverde paulista tem 16 participações, e foi campeão uma vez (1999);

– Grêmio: o tricolor gaúcho também tem 16 participações, sendo bi campeão (1983 e 1995);

– São Paulo: o time paulista possui o melhor retrospecto entre os clubes brasileiros na Libertadores. São nada mais na menos que 18 participações e três títulos (1992, 1993 e 2005). Sem dúvida, o São Paulo é o time brasileiro mais familiarizado com o torneio de futebol mais importante da América do Sul.

São Paulo campeão de 2005. O clube paulista é o melhor brasileiro da história da competição

São Paulo campeão de 2005. O clube paulista é o melhor brasileiro da história da competição

Além dos times citados acima, também já disputaram a competição: Fluminense, Atlético-PR, São Caetano (esses três conseguiram ser vice-campeões), Botafogo, Guarani, Bahia, Sport, Coritiba, Criciúma, Goiás, Paysandu, Paraná, Náutico, Santo André, Juventude, e os modestos Paulista e Bangu.

De qualquer forma, a versão 2016 da Libertadores já está no ar, e a emoção que envolve a competição também.

Que vença o melhor, mas, de preferência, que o melhor seja brasileiro.

About The Author

Historiador, estudante de jornalismo e amante do futebol desde sempre. Não sabe como seria sua vida se não existisse esse esporte fantástico.

Leave a Reply

Your email address will not be published.