Fim de ano, fim do futebol nos gramados tupiniquins, o Brasileirão e a Copa do Brasil terminaram com conquistas paulistanas, os títulos sul-americanos não viram brasileiros chegarem nem perto, os estaduais foram monótonos como sempre e pouca coisa nova aconteceu dentro de campo. Fora dele, o São Paulo tem vivido a sua maior crise em muitos anos, a CBF tem enfrentado problemas políticos ao lado da FIFA, uma nova Liga de clubes liderada por sulistas, mineiros e cariocas tem sido articulada e há muita discussão em relação ao rumo que o futebol nacional tem tomado e precisa tomar.

Na Europa, a bola não para, o Barça venceu a Champions e segue forte no mundial, no qual enfrentará o River, – campeão da América do Sul -, o Real entrou em crise, assim como o Chelsea, campeão inglês em maio, brigando contra a degola em dezembro, United irregular, Liverpool se reestruturando, o Arsenal na mesma de sempre, o Bayern abrindo boa vantagem, PSG, enfim, soberano na França, com milhares de pontos de vantagem, a surpresa de Leicester na Terra da Rainha e a surpresa belga, Genk na Champions League.

Na verdade, neste fim de ano tem pouco a se falar sobre muita coisa, futebol parado na América, quase parando na Europa, fim de ano de descanso, merecido para todos, pro campeão Corinthians e pro rebaixado Vasco, uns comemoram, outros refletem, mas a mudança é importante, se o Timão perdeu Jadson para a China e terá que remontar parte do esquema, o Gigante da Colina terá que se remontar inteiro, dispensas incontáveis fazem parte da rotina do time carioca, mas fora isso o mercado brasileiro esta parado em relação aos atletas, Diego Souza no Flu é a principal contratação, se fosse em 2008/2009 seria um baita reforço, mas em 2016…

O mercado de treinadores mais agitado, Deivid efetivado na Raposa, Atlético/MG e São Paulo apostando nos estrangeiros Aguirre e Edgardo Bauza, o Fla trazendo Muricy de volta ao campo, não bastasse isso, bomba também no Velho Continente, o Chelsea em crise, demitiu Mourinho, quando os jogadores querem não tem que diga não, queriam a cabeça de Mourinho e a tiveram em bandeja de prata, o Special One deixou de ser especial ou os jogadores sentiram-se mais especiais que ele? Enquanto isso, Van Gaal é criticado em Manchester e o, anteriormente desprezado, Ranieri lidera a Premier League com a zebra Leicester City.

O mercado de transferências promete não ser movimentado, na Europa, o tradicional mercado de janeiro, já não rende tanto, no Brasil, a crise que os clubes vivem prejudicam, só os chineses para agitarem o planeta, eles que já levaram Mano e Jadson, podem buscar mais gente, o projeto de Luxemburgo começará, Felipão seguirá com o seu. Aliás, Felipão, o homem que sofreu 7 da Alemanha há mais de um ano, sofreu só 3 do Barça neste mundial, ainda por cima tirou sarro do Real Madrid.

Realmente, o mundo tá mudando pra caramba, Diego Souza estrela no mercado de transferências, Felipão provocando o Real, Jadson saindo do Brasil como estrela, Mourinho derrubado por seus atletas, o Leicester liderando a Premier e a China sendo a esperança de contratações no mercado de janeiro, certamente “o mundo é azul lá de cima, o mundo é vermelho na China”.

About The Author

Amante do esporte, presente em uma das tantas curvas da highway. Mineiro, acima de tudo Cruzeiro. Fã de futebol rápido, não necessariamente rasteiro. Acredita na Copa do Mundo como momento máximo do esporte.

Leave a Reply

Your email address will not be published.