Jogar em casa sempre teve um peso importante nas disputas esportivas, independente da modalidade, atuar em um ambiente conhecido, com apoio de sua torcida e conhecendo os atalhos da “casa” sempre ajudaram diversos times a conquistarem suas vitórias, falando de futebol brasileiro, diversas vezes tivemos estádios que causaram receio à diversas equipes, verdadeiros alçapões que ajudaram seus mandantes a realizarem boas campanhas. Principalmente, no que tange equipes de menores investimentos, faz-se importantíssimo exercer um bom mando de campo a fim de alcançar boas colocações na competição.

Nesta temporada, quem vem se dando bem jogando em casa é a Chapecoense, time do interior de Santa Catarina, com investimentos menores em relação aos times do próprio estado, a equipe tem feito da Arena Condá, – estádio onde manda seus jogos -, um verdadeiro alçapão e terminou o primeiro turno com a 5ª melhor campanha como mandante na competição e em 9º no campeonato, mantendo-se afastada da zona de rebaixamento. O retrospecto da equipe é de 7 vitórias, 2 empates e 1 única derrota, boa média de público e a confiança ao atuar em casa são armas da Chape, na temporada passada, o time já havia mostrado força ao fazer boa campanha em casa, com destaque ao massacre sobre Inter por 5×0.

Festa da torcida na Arena Condá

Festa da torcida na Arena Condá

Inaugurado em 1976, o estádio era chamado inicialmente de Estádio Regional Índio Condá, pertencente a prefeitura municipal, o estádio foi construído para receber os jogos da Chapecoense, equipe que havia sido recém-fundada. Localizado em Chapecó, o estádio carrega a alcunha do índio Condá, homenagem feita à Vitorino Condá, líder de um importante grupo indígena que viveu na região, a rua na qual está o estádio, também carrega o mesmo nome do famoso índio.

Inicialmente, o estádio foi construído para poucas pessoas, mas com o crescimento do clube e necessidade de expansão, a capacidade e condições do estádio foram aprimorados, o projeto do estádio que existe hoje, – Arena Condá -, foi lançado em 2007, mas as obras foram realizadas por partes e em 2014 foi realizada a última reforma do estádio, alcançando assim capacidade máxima de 22.000 pessoas. Para “transformarem” o Estádio em Arena, foram demolidas algumas partes do estádio e outras foram reformadas, a fim de melhorarem as condições físicas e transformá-lo cada vez mais em um estádio de nível internacional, com a ascensão da Chapecoense até a série A do Brasileirão, isso se fez necessário, principalmente a ampliação do estádio, já que são exigidos no mínimo 15.000 lugares para disputa da primeira divisão.

Diferente de antigos alçapões, a Chape aposta no bom gramado, com time técnico é fundamental ter boas condições de jogo, apostando na velocidade de seus atletas, o gramado do estádio é excelente para a prática esportiva. O recorde de público na Arena é de quase 20.000 pessoas, em derrota para o Grêmio no último campeonato nacional, o objetivo do clube esse ano, além de chegar longe nas competições as quais disputa, é bater esse recorde, e que desta vez seja com vitória, Brasileirão e Copa Sul-Americana estão no caminho do clube para ajudar no cumprimento dos objetivos, boas campanhas e/ou títulos, – Sul-Americana é possível -, sob os olhos da torcida e com a força de Condá.

About The Author

Amante do esporte, presente em uma das tantas curvas da highway. Mineiro, acima de tudo Cruzeiro. Fã de futebol rápido, não necessariamente rasteiro. Acredita na Copa do Mundo como momento máximo do esporte.