Assim como em dezembro do ano passado, Vitório Piffero e sua comissão parecem estar, sem querer, acertando em suas decisões. Argel é uma das esperanças e promessas dos técnicos de futebol brasileiros e agora chega ao Internacional. Em princípio, terá cerca de um ano e meio para se provar como um real treinador de ponta. 

Sua carreira é curta. Aos quase 41 anos, são cerca de 8 anos como treinador. Nesse tempo Argel conquistou apenas um título, mas fez trabalhos muito bons, que acabaram lhe rendendo novas oportunidades. Saiu dos pequenos times gaúchos, de meio da tabela do gauchão, para times cada vez maiores. Estava no Figueirense, um dos maiores catarinenses, há mais de um ano.

No internacional, Argel terá a responsabilidade de recuperar um elenco aparentemente destroçado, tanto pela derrota na libertadores, quanto pela demissão de Diego Aguirre. O uruguaio era muito amigo dos jogadores e o gaúcho tem tudo para também ser. Ex-jogador do Internacional e para a profissão ainda jovem, Argel conhece a linguagem dos jogadores e também sabe como lidar com o castelhano-abrasileirado futebol gaúcho. Garra e entrega provavelmente não irão faltar.

 

Argélico Fucks iniciou sua carreira de jogador no Internacional, entre 1993 e 1995, e até hoje mantém fortes laços com o colorado (Foto: Marcos Ribolli)

 
Nessa jogada, o clube colorado “copia” o que deu certo no Grêmio. Traz um ex-zagueiro do clube, jovem, com uma experiência não tão grande mas com vontade de provar suas capacidades e estudo para ir além.

Assim como deu certo no tricolor, graças ao belíssimo trabalho que vem sendo feito por Roger, com respaldado pela direcao e por seu presidente Romildo Bolzan, e que também pegou o plantel em baixa e o levou para o topo do campeonato, Argel Fucks tem tudo para dar certo também e mostrar que deu suas decisões e da direção foram acertadas.

Os amantes do esporte bretão, que ainda tem esperança de uma evolução significativa na maneira de gerir clubes e pensar futebol no Brasil, só podem torcer para que enfim um treinador tenha sua continuidade assegurada, respaldo e confiança no projeto. Podemos estar vendo um novo capítulo da história ser contado; ou apenas mais um técnico “fracassado”. Vitório Piffero está tendo mais uma chance de mostrar sua cara e sua inteligência. 

About The Author

Adrian Pavoni
Diretor-Executivo e Colunista

Amante da liberdade, de esportes e da vida. Cityzen e Sapucaiense. Estudante de Jornalismo da PUCRS.