Eu estudo jornalismo, leitor. E lá no curso de jornalismo, o assunto ‘assessoria de imprensa’ é algo que não falta. É assessoria para todos os lados, é aula de assessoria, é uma guerra para saber se assessor é jornalista ou não, mas em meio a tudo isso, aprendi algo simples, mas importante: imagem. Assessoria de imprensa tem uma função importante quando o assunto é cuidar da imagem de uma empresa ou pessoa.

E o Luis Felipe Scolari está precisando disso urgentemente.

De campeão da Libertadores pelo Palmeiras, em 1999, e campeão do mundo pela Seleção Brasileira em 2002, Felipão parou no tempo. Como se fosse uma praga. “Ganhe a Copa do Mundo e tenha sua carreira afundada após isso”. É uma verdade. Me conte você, leitor, que história Felipão fez após aquele penta?

Em Portugal Felipão é rei. Treinou a Seleção do país por cinco anos, foi responsável por formar Cristiano Ronaldo, melhor jogador da atualidade, mas e títulos? E convencimentos? É tido como rei, pois a seleção portuguesa sempre esteve jogado às traças. Felipão ganhou méritos por chegar à final da Eurocopa de 2004… mas perdeu para Grécia; ganhou méritos por chegar às quartas de final da Copa do Mundo de 2006… mas perdeu para a Alemanha; ganhou méritos por chegar às quartas de final da Eurocopa de 2008… mas perdeu para a Alemanha.

O Chelsea foi o desafio aceito pelo treinador brasileiro em 2008, seu primeiro time de ponta na Europa, mas primeiro e último. Felipão não conseguiu arrancar um sorriso do torcedor londrino. A imprensa acredita, até hoje, que houve complô de jogadores para derrubar o treinador brasileiro. Hoje, com José Mourinho no comando, depois de altos e baixos, os Blues respiram novos ares.

Depois do Chelsea, Felipão decidiu desce para o sótão do futebol e foi treinar o Bunyodkor, do Uzbequistão. Voltou ao Palmeiras. Conquistou a Copa do Brasil de 2012… mas foi rebaixado com a equipe no mesmo ano. Pior que isso: Felipão não foi rebaixado pelo Palmeiras, pois abandonou o projeto pouco tempo antes. Deixou a bomba estourar na mão de Gilson Kleina, técnico bom, mas que teve sua passagem manchada no Verdão, e por culpa de Felipão. O paizão que abandona seu filho em um orfanato.

Depois no Grêmio, nada no Grêmio. Felipão seguiu a linha de decadência até ser demitido, nesta semana. Um acúmulo de derrotas em uma carreira que começou vitoriosa. Seria a idade? Seria a evolução do futebol?

Eu aposto na idade unida a idade do futebol. Não entendeu? Eu explico. Felipão tem 66 anos, mas o futebol não tem mais 66 anos. O futebol atual é moderno, requer mais maturidade dos atacantes, requer mais organização ofensiva, mas Felipão não tem esse foco. Enche um time de volantes, pouco se importa com quem está lá para marcar gols. Um erro crucial que afundou a estratégia do treinador.

Tudo que podemos desejar é boa sorte… boa sorte à assessoria de imprensa que precisa cuidar da imagem do Felipão.

About The Author