oie_OlIhI7h0h0ZxDomingo de sol, temperatura agradável no Rio de Janeiro, Maracanã cheio, Flamengo em campo, estreia em casa pelo Brasileirão, torcida empolgada, rivalidade com o time que teoricamente disputa conosco o título de 87… Todos os fatores eram extremamente favoráveis para que o Rubro-Negro carioca, o verdadeiro, tivesse uma atuação de gala hoje no maior estádio do mundo.

Todavia, o que se viu nos primeiro tempo de jogo foi um time novamente apático, sem jogadas de criatividade, sem triangulações, sem jogadas de bola parada, e com uma zaga que não recompunha quando era pressionada.

Problemas já conhecidos, e que apesar de todo tempo de treinamento, ainda persistem em acontecer com o time. Mas o que pode causar toda essa apatia no time Rubro-negro? Talvez a falta de vontade ou comprometimento de alguns, a falta de um meia de referência para organizar o meio-campo? Talvez.

A falta de um meia-criador que organiza o jogo, que chama a responsabilidade, e abre o espaço com habilidade no meio-campo, não é um problema novo no Flamengo, e de fato, parece ser o principal prolema para o time. E não é um problema que se limita apenas ao Rubro-negro carioca. Pouquíssimos times no brasil tem o poder de bater no peito e dizer que ‘tem um 10’.

E já que não da pra ir com calma e cadência, que seja na raça, na pressão, no grito da torcida. E foi o que aconteceu hoje no Maracanã. Ignorando tudo o que aconteceu no primeiro tempo, e até o segundo gol do Sport, o Flamengo fez exatamente isso. Juntando uma série de fatores que fizeram uma atmosfera fantástica no Maraca, após os 20 minutos do segundo tempo, o Flamengo foi ligado e parecia impulsionado com os berros fanáticos de 35 mil torcedores no estádio.

E não demorou para os gols saírem. Parecia tudo uma simples questão de tempo. Os dois gols de empate aconteceram, o segundo aliás, um golaço, depois de mais de 1 minuto de troca de passes.

Contudo eles saíram tarde demais, o último foi já aos 50 do segundo tempo, e com absurdos 3 minutos de acréscimo, não havia mais tempo de buscar a virada, que com certeza, era apenas questão de tempo.

O empate sensacional arrancado em 20 minutos, a força da torcida, a vontade e empenho dos jogadores… Talvez tudo isso tenha camuflado o que realmente foi um jogo. Jogo no qual o  Flamengo apresentou os mesmos erros já apresentados. Porém, esse seria o lado importante da dialética do jogo? O Flamengo pode jogar sempre como jogou nos últimos 25 minutos. Seja em casa, seja fora, em qualquer lugar, em qualquer competição. Porém é necessária uma mudança de postura dos jogadores, e claro, um reforço de peso para que o time ganhe qualidade técnica relevante, suficiente para mudar o status do time no Brasileiro.

Sorte para nós na próxima rodada, que é ganhar ou ganhar, para recuperar os pontos perdidos no Maracanã. Vai pra cima deles, Mengo.

Saudações Rubro-negras.

 


 

Blog do Mengão

About The Author