Após vinte e oito anos Steven Gerrard se despedirá do clube para o qual dedicou sua vida até o momento, Liverpool ficará mais vazia após o adeus do craque, ainda faltam duas partidas para a despedida fatal, mas nas últimas duas rodadas Gerrard mostrou seu valor e a falta que fará ao Liverpool, há duas rodadas jogando em Anfield, o meia foi fundamental na vitória de sua equipe por 2×1, jogo empatado por um gol, pênalti para os Reds, Gerrard na bola e o erro veio, mas o capitão não queria deixar a imagem da cobrança perdida e de cabeça deu a vitória ao Liverpool para delírio da torcida. Já na última rodada, último clássico de Gerrard, confronto contra o Chelsea, time esse que tanto marcou a vida do meia em confrontos espetaculares, principalmente em fases decisivas de UEFA Champions League, e Gerrard não poderia deixar de brilhar, – e novamente -, de cabeça anotou o empate vermelho em Stamford Bridge, saiu de campo aplaudido por sua torcida e pela torcida de um de seus grandes rivais.

Se Gerrard tem brilhado nas últimas rodadas, deve-se muito a sua cabeça, a mesma com a qual anotou os tentos decisivos nos últimos dias foi fundamental para ele construir sua trajetória de sucesso, seja marcando gols ou pensando jogadas fundamentais para ele e/ou terceiros marcarem gols, seu momento mais célebre foi com a cabeça, ao marcar o primeiro gol da reação do Liverpool contra o Milan no heroico empate em Istambul, Gerrard também foi herói em outras inúmeras ocasiões, como no gol espetacular de longa distância marcado contra o West Ham na final da Copa da Inglaterra, garantindo assim o empate do Liverpool que garantiu o campeonato, campeão da UEFA Champions League, Copa da UEFA, Supercopa Européia e de todas copas nacionais, Gerrard só não conquistou a Premier League.

Gerrard levou o Liverpool ao topo da Europa

Gerrard levou o Liverpool ao topo da Europa

Mas, ganhar a Premier League nunca foi um problema, indubitavelmente já gerou dor em Gerrard e na torcida a não conquista dela, ainda mais quando na temporada passada o meia escorregou e falhou no jogo decisivo contra o Chelsea, mas a dor maior do torcedor não era pela perda das chances de título, mas pela falha daquele que pôs o Liverpool no pódio mais alto da Terra da Rainha. Apesar de craque, para os Reds ele era mais um torcedor, com a diferença fundamental, ele podia e, – invariavelmente -, resolvia dentro dos gramados.

Além de títulos, Gerrard era adorado pela torcida pela importância que dava aos clássicos, Chelsea, Éverton e, – principalmente -, Manchester United sofreram com o craque, autor de diversos gols e assistências, o meia decidiu inúmeros clássicos britânicos. Particularmente, o jogo que considero mais sensacional do meia foi na temporada 2008/2009, o Liverpool foi até Old Trafford e massacrou o Manchester United, vitória por incríveis 4×1 e show de Steven que anotou um gol e conduziu a vitória dos visitantes, contra o adversário que Gerrard mais detesta, nada melhor que a goleada sendo coroado com a atuação de gala em território adversário.

Com futebol inteligente e elegante, chutes potentes de fora da área e a sede de vencer que lhe são característicos, Steven George Gerrard firmou-se como o maior atleta da história do Liverpool, talvez tenha faltado algo mais pela seleção inglesa, mas para seus torcedores não faltou nada, pelo Liverpool não houve gigante que não caísse ao enfrentá-lo, além dos vizinhos ingleses grandes europeus sofreram, Real Madrid, Internazionale, Milan e diversos adversários caíram para o time cinco vezes campeão europeu e para Gerrard que notabilizou-se por sempre marcar em partidas decisivas.

Gerrard brilhou em diversos confrontos contra o United

Gerrard brilhou em diversos confrontos contra o United

Entre as glórias conquistadas e as decepções vividas, Gerrard percorreu um árduo caminho, amado por seu povo, respeitado pelos rivais, o meia tornou-se um ícone máximo na Inglaterra, eleito inúmeras vezes um dos grandes ou o grande atleta inglês do ano e, – transcendendo o campo de jogo -, Gerrard também recebeu a Ordem do Império Britânico. Inegavelmente, o meia deixará saudades à todos aqueles que o viram brilhar em campo, atuando no mais alto nível, além de sempre fiel ao clube pelo qual escolheu se formar, o clube que tanto ama.

Certamente, Gerrard não teve facilidade para tomar sua decisão de deixar Anfield Road, – pelo menos por um tempo -, e rumar para a América do Norte, o meia já havia, – inclusive -, recusado propostas de gigantes europeus em outras épocas de sucesso, mas agora que a decisão está tomada Steven será o que sempre foi, mais que um jogador, um torcedor, entretanto agora não poderá mudar a sorte de seu time dentro dos gramados. O eterno capitão dá um “até breve” à Liverpool, mas leva com ele todo o respeito que conquistou, o camisa oito vai, o Liverpool Football Club fica e deixa com o capitão o maior legado que a torcida poderia deixar, independente da época e da situação, você nunca caminhara sozinho.

About The Author

Amante do esporte, presente em uma das tantas curvas da highway. Mineiro, acima de tudo Cruzeiro. Fã de futebol rápido, não necessariamente rasteiro. Acredita na Copa do Mundo como momento máximo do esporte.