Futebol ou É o Tchan? Edmundo que responda. Em 1997, no primeiro jogo da final do Campeonato Carioca entre Vasco e Botafogo, o Animal decidiu inovar. Em grande fase, empilhando gols, assistências e cada vez mais garantindo presença na seleção, o atacante tirou, naquele jogo, o zagueiro Gonçalves para dançar, literalmente. Com o placar em vantagem ao Vasco, depois de um gol do interminável meia Ramon Menezes, coube a Edmundo provocar os botafoguenses. Ao receber uma bola na ponta direita, parou ela rente à linha lateral e quando o beque adversário se aproximava, começou a rebolar o traseiro no melhor estilo loira do tchan – em alta no final da década de 90.

Mas a dança da bundinha sequer foi notada por Gonçalves. Segundo ele, a concentração era tanta que não deu tempo de pensar no traseiro alheio. “Eu estava tão concentrado que não vi a rebolada. Estava focado porque sabia que era difícil marcá-lo. Foi um dos atacantes mais difíceis que enfrentei. Fui saber depois e entendi como provocação para que eu fosse expulso. Serviu de incentivo ao nosso time”, contou o zagueiro, que, assim como o Animal, defendeu a seleção brasileira na fatídica Copa de 1998.

gon

Três dias depois, foi a vez dos botafoguenses rebolarem (Getty Images)

O episódio irritou também o então treinador da seleção brasileira, Mário Jorge Lobo Zagallo: “e se sair gol do Botafogo, como fica?”. Na saída de campo, Gonçalves não foi tão compreensivo com a brincadeira do jogador: “Prefiro mil vezes a Carla Perez dançando”. O fato é que a rebolada de Edmundo motivou o Botafogo a, três dias depois, virar o placar no segundo jogo e fazer justiça a uma campanha irretocável, já que na fase de classificação foram 11 vitórias em 11 jogos.

Com gol do atacante Dimba no segundo duelo, o alvinegro devolveu o 1×0, levantou a taça e comemorou o título da melhor forma possível: rebolando.

Com narração de Luiz Carlos Jr, do SporTV, veja a rebolada de Edmundo, em 1997.

About The Author