anuncioeja

O feitiço voltou contra o feiticeiro. Carlos Miguel Aidar, que chegou ao São Paulo atirando para todos os lados, hoje colhe tudo o que plantou. No dia 28 de abril de 2014, o mandatário tricolor disse que a Sociedade Esportiva Palmeiras se apequena a cada ano, porém, o mundo gira e nada como um dia após o outro. Hoje, com o Palmeiras em alta, é o São Paulo quem quer copiar a fórmula alviverde.

Começamos pelo estádio. Antes da modernização do Allianz Parque, o São Paulo faturava com o Morumbi em shows, hoje, com a arena multiuso do Verdão, a primeira opção sempre será a nova arena. O estádio do São Paulo passou a ser o plano B, ficou como segundo plano. No último sábado houve o show do rei Roberto Carlos.

Outro ponto são os valores que São Paulo e Palmeiras faturaram com seus estádios. Em todo o Campeonato Paulista, o tricolor arrecadou cerce de R$ 1,4 milhões. Já o Verdão arrecadou apenas no estadual cerca de R$ 12 milhões. Uma diferença gigantesca para um clube tão renomado como o São Paulo.

Diante a isso, o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar já conversa com empreiteiras em busca de fazer a reformulação do Morumbi aos moldes de uma arena. A ideia do mandatário é levar a arquibancada, o anel intermediário, a ficar mais próximo do gramado, como é feito em grandes arenas pelo mundo.

“O Allianz Arena e a Arena Corinthians são estádios muito mais modernos que o Morumbi, muito melhores. O Morumbi foi inaugurado há 50 anos e hoje é totalmente ultrapassado e anacrônico. É bonito, mas apenas isso. Servirá apenas para mandarmos nossos jogos, nada mais. Em breve, ele será como o velho Canindé que deixamos para vir fazer o Morumbi.

“(O Morumbi) está fora dos novos conceitos. O público fica longe do campo, tem lugar em que o torcedor fica a 100 metros do jogador, não tem aquele calor humano. Estádio hoje em dia não precisa ter capacidade para 100 mil pessoas, basta ver na Europa ou nos EUA com os novos campos de baseball. Os estádios do Corinthians e do Palmeiras são melhores que o nosso em acesso, segurança, dependências e qualidade, em tudo.”

Voltando ao que Carlos Miguel Aidar disse, em que o Palmeiras se apequenou, o feitiço voltou contra o feiticeiro. Hoje quem se apequena é o São Paulo.

About The Author