Jesus é negro. Cabelo raspadinho. Ouve um bom pagode, sertanejo, samba. Sambinha do bom. Tem cara de menino. Jesus erra muito nesse momento da vida. Quando tem uma oportunidade, coloca a charrete na frente dos burros e dá de cara com o muro. Porque Jesus é novo. Ah, como Jesus é novo. Mas é cedo. Não dá pra julgar Jesus. E se, lá na frente, ele vir com toda sua fúria e nos calar? E se, lá na frente, Jesus mostrar que todos aqueles que falaram mal dele neste momento, estão completamente errados? Eu tenho até medo do que Jesus pode fazer no futuro. Hoje, não mete medo em ninguém.

Lembro de um amigo, muito fã do corredor Usain Bolt, disse que, antes da primeira Olimpíada, o africano era um nada. Era um jovem em potencial, com velocidade absurda, mas que as pessoas não acreditavam que aquele negro poderia ganhar o mundo. Todo mundo tem um pé atrás quando o assunto é “promessa”. Exemplo claro disso: Lulinha e Neymar.

Lulinha, a promessa corintiana. O homem dos 50 milhões de euros, mas que, hoje, não vai nem 1 milhão. Não vale nem perto disso. Vale o suficiente para o Red Bull Brasil contratá-lo. Neymar, o homem de milhões e milhões fez jus ao status. Começou no Santos, debaixo de dúvida. Uns já diziam que era o melhor do mundo, outros pediam calma.

Se lembram quando Robinho foi para a Europa? Jogar no Real Madrid? Fiasco! O Rei das Pedaladas se tornou um rei de nada na Espanha. Mas Neymar, não! Neymar segue sendo o homem dos milhões e milhões. E Tim Maia, quando começou? Ninguém dava nada para o negro pobre. Se tornou um dos ícones da música brasileira.

Mas Jesus não é músico, muito menos vai correr nas Olimpíadas. Mas não dá pra julgar Jesus. Tem que dar tempo ao tempo. Ele vai cair muito, vai pedir ajuda aos céus, vai falhar mais uma vez até acertar. Mas quando acertar, meu leitor… segurem! Se preparem! Jesus vai acabar com o mundo! Jesus vai mostrar quem é Jesus.

Eu vou esperar, sem ansiedade. Vou esperar, mas sem pedir sua entrada a cada 10 minutos de jogo.

Vou esperar com calma, Gabriel.

About The Author