Isso mesmo. Eu não estou ficando louco. É difícil, na realidade, não estar com o ataque do Vasco essa temporada. Já se foram 7 jogos e 12 gols marcados. Quantos foram os gols de atacantes? Dois. Rafael Silva foi o autor do que, na temporada, está sendo raro. O pior de tudo é que nas vezes em que marcou, o Vasco não venceu. Empate com Tigres e Barra Mansa.

Atualmente, o Gigante da Colina conta com seis atacantes no elenco. São eles: Erick Luis, Gilberto, Rafael Silva, Romarinho, Thalles e Yago. Ainda essa semana estão sendo apresentados mais dois: Mosquito e Dagoberto.

Nossa arma secreta nos jogos são as bolas paradas. Dos 12 gols, incrivelmente 8 foram nesse atributo.

Doriva tem armado o time com uma linha de 3 meias antes do solitário centro-avante que hoje é Gilberto. Normalmente essa trinca é formada por Marcinho, Bernardo e Montoya. Por que não municiam o atacante? Porque, com o esquema montado, normalmente o que acontece com o time do Vasco é o atacante fazer o pivô e sair da área para os meias entrarem. E quando não entram, recebem as faltas. Daí a necessidade da precisão nesses lances.

Já se foram 2 jogos com Gilberto em campo revezando com Thalles e com o próprio Rafael Silva. Chances para marcar? Teve apenas 3, no máximo 4. No último jogo, inclusive, arriscou um voleio que não deu certo. (Uma pena)

Faltam oportunidades e falta municiamento aos atacantes. Mas a culpa não é deles, nem dos meias, nem do treinador. O time está vencendo. Mas para ter seis atacantes e nenhum marcar gols, é melhor colocar o Rodrigo lá na frente e deixar ele fazendo o pivô. O Vasco está jogando bem, a defesa está acertadíssima, mas falta um brilho no ataque. Com a chegada de Dagoberto e Mosquito (o primeiro principalmente) a expectativa é que isso melhore e que possamos comemorar ainda mais gols do Gigante da Colina nessa temporada.

About The Author